Estratégia de Vigilância: A Suposta Operação para Detenção de Autoridades Após Tentativa de Golpe

Relatório da PF revela monitoramento de Alexandre de Moraes por equipe ligada a Bolsonaro em meio a investigações sobre tentativa de subversão democrática.

Em uma revelação impactante, a Polícia Federal divulgou detalhes de uma investigação que indica um esquema de monitoramento envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. De acordo com os documentos da PF, assessores próximos ao ex-presidente Jair Bolsonaro estavam envolvidos no rastreamento das atividades do magistrado, com planos de detê-lo em um cenário de golpe de Estado.

Esta operação não se limitou a Moraes, estendendo-se a outras figuras de destaque no cenário político nacional, como Rodrigo Pacheco, presidente do Senado pelo PSD-MG, e o ministro Gilmar Mendes, indicando a existência de um “núcleo de inteligência” com objetivos claros de intervenção política.

A investigação trouxe à tona a comunicação entre Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, e Marcelo Câmara, assessor especial da Presidência, que utilizavam um codinome para referir-se a Moraes, chamando-o de “professora”. Em uma série de mensagens interceptadas, detalhes sobre deslocamentos que seriam de Moraes foram meticulosamente compartilhados, destacando uma viagem a São Paulo com datas e horários específicos, além de uma observação sobre o retorno a Brasília para a posse de Luiz Inácio Lula da Silva, referido de maneira pejorativa.

As mensagens, enviadas no período de 14 a 24 de dezembro de 2022, evidenciam o nível de vigilância e a intenção de agir contra Moraes e outros alvos selecionados. Este caso insere-se em um contexto maior de investigações que buscam esclarecer a amplitude e os participantes de movimentos que visavam a desestabilização do regime democrático brasileiro.

As revelações da Polícia Federal acendem um alerta sobre a tentativa de uso de estratégias de inteligência para fins políticos, subvertendo a ordem constitucional e visando a prisão de autoridades judiciais e legislativas. O caso continua sob investigação, prometendo trazer mais detalhes sobre a extensão e os envolvidos nesta trama de vigilância e potencial subversão.

Everton Yahu

Escreve para o ZSShares diariamente, trazendo notícias sobre política, economia, tecnologia e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

error: O conteúdo está protegido.