Operação Roraima: Reforço Blindado na Fronteira Norte

Em resposta à crescente tensão no Essequibo, o Brasil mobiliza força militar e estratégica em território roraimense.

Com o intuito de fortalecer a segurança nas divisas com Venezuela e Guiana, o Brasil concluiu o posicionamento de 28 veículos blindados em Roraima, anunciou o governo federal neste domingo (4). A medida se dá em um contexto de escalada nas tensões decorrentes da disputa pelo Essequibo, área conhecida por suas riquezas petrolíferas.

Inserida no âmbito da Operação Roraima, a movimentação dos blindados, originários de Campo Grande (MS), abrangeu uma trajetória superior a 3,5 mil quilômetros até Manaus, culminando na chegada ao destino final na semana anterior. A frota inclui:

  • 14 Viaturas Blindadas Multitarefa 4×4 Guaicurus, dotadas de sistemas de armamento controlados à distância, visão termal e dispositivos de comando e controle;
  • 8 Viaturas Blindadas de Transporte de Pessoal Médio sobre Rodas Guarani;
  • 6 Viaturas Blindadas de Reconhecimento Média Sobre Rodas EE-9 Cascavel;
  • Complementadas por outras viaturas de apoio administrativo.

Segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, a operação reflete a estratégia militar brasileira de enfatizar a proteção da região Amazônica, visando uma ampliação estrutural da unidade militar em Roraima, que passará de esquadrão para regimento. Com a transformação prevista para 2025, o Regimento contará com três esquadrões e aproximadamente 600 militares.

O Essequibo, epicentro da controvérsia, é um território historicamente disputado. A Venezuela, reivindicando a região rica em petróleo como parte de seu território desde os tempos coloniais sob o domínio espanhol em 1777, apela ao acordo de Genebra de 1966 para uma solução negociada. Contrapondo, a Guiana defende a validade de um laudo de 1899, atualmente questionado por Caracas, e busca a confirmação de sua legitimidade pela Corte Internacional de Justiça.

Everton Yahu

Escreve para o ZSShares diariamente, trazendo notícias sobre política, economia, tecnologia e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

error: O conteúdo está protegido.