Hacktivista Revela Plano de Causar Caos para Manter Bolsonaro no Poder

Hacker falou que esse era o plano, pra perpetuar o Bolsonarismo

Brasília, 14 de setembro de 2023 – O hacker Walter Delgatti Neto prestou depoimento hoje à CPI dos Atos Antidemocráticos da Assembleia Legislativa do Distrito Federal, revelando que o plano de invadir sistemas da Justiça e fraudar urnas eletrônicas tinha como objetivo principal “causar caos” com o intuito de manter o ex-presidente Jair Bolsonaro no poder.

Delgatti Neto explicou durante seu depoimento: “A ideia era criar o caos. Desde o início, se o ex-presidente não vencesse a eleição, ele causaria uma situação caótica a ponto de forçar a realização de uma nova eleição ou manter-se no poder de forma não democrática.”

O hacker também alegou que a tentativa de descredibilizar o sistema judiciário estava relacionada aos eventos ocorridos em 8 de janeiro, conhecidos como atos golpistas. Ele já havia compartilhado informações semelhantes com a CPI do Congresso Nacional em 17 de agosto, afirmando que Bolsonaro e a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) o incentivaram a invadir sistemas para demonstrar supostas vulnerabilidades nas urnas eletrônicas.

Delgatti Neto admitiu ter sido “cooptado” por Zambelli e Bolsonaro, declarando: “Fui cooptado pela deputada Carla Zambelli, onde recebi propostas para cometer irregularidades. Também fui cooptado pelo ex-presidente com uma proposta semelhante à de Carla Zambelli.”

O programador expressou sua convicção de que políticos não serão responsabilizados, afirmando: “Solicito que compartilhem meus depoimentos já prestados, pois não tenho mais informações a fornecer. Qualquer declaração adicional só prejudicaria a minha situação e de outras pessoas que, com certeza, não serão responsabilizadas.”

Além disso, Delgatti Neto confessou ter sido o autor da invasão ao sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em janeiro deste ano e de ter emitido um mandado de prisão falso em nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, com a intenção de “demonstrar que o sistema era vulnerável”.

O hacker encontra-se detido desde junho e prestou seu depoimento à CPI do Distrito Federal por meio de videoconferência. No início da sessão, ele estava algemado, mas o presidente da comissão, o deputado distrital Chico Vigilante (PT), solicitou que as algemas fossem removidas.

Everton Yahu

Escreve para o ZSShares diariamente, trazendo notícias sobre política, economia, tecnologia e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

error: O conteúdo está protegido.