Caso Daniel Alves: 5 evidências da possível agressão sexual pesam o processo!

foaO caso Daniel Alves está deixando o futebol inquieto, onde a cada dia que se passa aumentam as possibilidades de o jogador ter cometido a violência sexual.

A princípio, um novo exame realizado na vítima aponta as impressões de Daniel Alves na agredida.

Além disso, uma câmera que estava no peito do policial que atendeu a vítima gravou as primeiras palavras ditas por ela, o que traz ainda mais veracidade as informações que foram citadas pelas vítimas.

Por fim, continue lendo nosso artigo e descubra tudo sobre o caso Daniel Alves.

O que aconteceu com Daniel Alves?

Primeiro, vamos contextualizar o que está acontecendo com o jogador Daniel Alves.

Na madrugada do dia 30 para 31, Daniel Alves estava em boate localizada na Espanha, e ao que tudo indica o jogador havia flertado com uma garota.

Daniel e a jovem de 23 anos foram a um banheiro, e segundo a vítima, ela havia sido pressionada para ir ao local.

De acordo com a jovem, Daniel havia a molestado, e por não querer ter relações com o jogador ela foi agredida.

No entanto, Daniel Alves nega essa versão, afirmando que a jovem permitiu a relação.

As evidências contra Daniel Alves

Apesar do jogador afirmar que não estuprou a jovem, as evidências estão mostrando o contrário.

Basicamente, até o momento existem 5 evidências que apontam o jogador de futebol da Seleção Brasileira como agressor da vítima na boate de Barcelona.

A primeira delas é uma imagem, outra grande evidência contra o jogador é a sua impressão digital presente no corpo da vítima.

Sendo assim, há evidências que indicam o atleta como responsável pelo estrupo da jovem.

Câmeras de segurança

A princípio, havia imagens de câmeras de segurança que mostram o jogador e a jovem entrando no banheiro.

Eles ficaram no local por aproximadamente 15 minutos, e nas imagens da câmera de segurança Daniel sai primeiro.

Após alguns instantes a vítima sai chorando e busca ajuda na casa noturna, sendo recebida por seguranças que acionaram a polícia.

Os policiais possuíam uma câmera que gravava parte do depoimento da vítima, esse áudio é uma forte evidência contra Daniel.

O laudo médico

Apesar de Daniel afirmar ter tido relações permitidas, os laudos médicos apontam o contrário.

Em poucas palavras, os laudos emitidos pela equipe responsável exibem sinais de agressão.

Segundo a equipe, os exames apontam que evidentemente houve uma luta entre Daniel e a jovem de 23 anos.

Além disso, as impressões digitais do jogador estavam nas mesmas áreas onde as lesões foram encontradas.

Ou seja, essas duas evidências somadas às imagens de segurança reforçam a suposta agressão.

Sêmem no local

A princípio, a equipe da Unidade Central de Agressões Sexuais (UCAS) encontrou sêmem em suas investigações.

Todavia, o material ainda não está identificado, contudo, as evidências apontam para Daniel.

Sendo assim, as chances de Daniel ser culpado pelo estrupo em Barcelona estão aumentando cada vez mais.

As contradições de Daniel Alves

A quinta evidência que fez com a juíza Maria Concepcion decretar a prisão do jogador foram suas ininterruptas contradições.

Em resumo, Daniel prestou depoimentos incompatíveis, ou seja, na primeira versão ele disse uma coisa e na segunda outra.

Desse modo, ele se auto complicou, fazendo com que a juíza ordenasse sua prisão preventiva sem direito a fiança.

Considerações finais

O caso Daniel Alves ainda não está concluído, porém, ele continuará preso até que as investigações provem sua inocência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

error: O conteúdo está protegido.