Aquecimento global: temperaturas serão mais quentes em 2023

O aquecimento global continua sendo uma preocupação crescente para cientistas e especialistas em clima em todo o mundo.

Isso porque, de acordo com o Met Office, do Reino Unido, 2023 será um dos anos mais quentes já registrados, com uma previsão de aumento da temperatura média global entre 1,08°C e 1,32°C acima da média do período pré-industrial (1850-1900).

Isso significa que, pelo décimo ano consecutivo, os termômetros devem marcar pelo menos 1°C acima dos níveis pré-industriais.

No entanto, a razão para isso é que este ano marca o fim de um padrão climático incomum, que teve um efeito de resfriamento no planeta e durou três anos, chamado La Niña.

A La Niña é um fenômeno que resfria em larga escala as temperaturas da superfície do oceano no Oceano Pacífico equatorial e muda a circulação atmosférica tropical.

Por isso, ela geralmente tem o impacto oposto do El Niño e causa um efeito temporário de resfriamento global.

Qual a previsão para 2023?

Apesar disso, o Met Office não prevê que 2023 será tão quente quanto 2016, que foi o ano mais quente registrado desde 1850, devido a um El Niño.

No entanto, é importante notar que, mesmo que 2023 não seja um ano recorde, com o aumento das emissões globais de gases de efeito estufa continuando em ritmo acelerado, é provável que seja outro ano notável na série de anos quentes.

De fato, os últimos oito anos foram os mais quentes já registrados, de acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

É fundamental agir rapidamente para manter a temperatura média global abaixo de 1,5°C para evitar os piores impactos das mudanças climáticas.

Essa ação inclui reduzir as emissões de gases de efeito estufa, investir em fontes de energia renovável e implementar políticas para adaptar às mudanças climáticas já em curso.

Em 2022, já enfrentamos vários desastres climáticos dramáticos, como inundações no Paquistão, ondas de calor recorde na China, Europa, América do Norte e América do Sul, e a longa seca no Chifre da África.

Portanto, é vital que tomemos medidas para evitar que esses eventos se tornem ainda mais frequentes e intensos no futuro.

O que dizem os especialistas sobre o aquecimento global?

Os especialistas em clima concordam que o aquecimento global é uma realidade científica comprovada e que é causado principalmente pelas emissões humanas de gases de efeito estufa, principalmente dióxido de carbono (CO2) e metano (CH4).

Eles afirmam que o aquecimento global está causando mudanças climáticas significativas, como aumento da temperatura em todo o planeta.

Outras consequências incluem o aumento do nível do mar, intensificação dos eventos climáticos extremos e mudanças na distribuição das espécies.

Do mesmo modo, eles também destacam que, se não tomarmos medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e nos adaptarmos às mudanças climáticas já em curso, os impactos negativos serão cada vez mais graves e amplos.

Isso inclui problemas econômicos, sociais, ambientais e colocando em risco a segurança alimentar e a saúde humana.

Os especialistas recomendam medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, incluindo investir em fontes de energia renovável, melhorar a eficiência energética, implementar políticas de carbono e promover a agricultura e a silvicultura sustentáveis.

Eles também recomendam medidas que incluem: desenvolver estratégias de gestão de riscos, fortalecer as comunidades vulneráveis e proteger a biodiversidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

error: O conteúdo está protegido.